músic

sábado, 5 de março de 2011

também sou ser-humano


Mas afinal, quem é que ela pensa que é? Pensa que manda? Não, não manda e aqui não é ninguém. Sim, sei perfeitamente que estas actitudes são normais dela. A pessoa dela é mesmo assim, mas eu não gosto e nunca irei gostar.  Ninguém gosta. Não tinha nada de fazer aquilo. Seja aqui ou noutro lado qualquer, simplesmente não tinha, mas, fez. Imaginemos que aquilo era para determninada pessoa e que já estavam contados? Ela não pensa. Não pensa e não pede. Custava assim tanto ter pedido? Não, não custava e ficava-lhe bem. Ficava-lhe muito bem, até. E como se não bastasse, foi embora sem sequer dar uma única explicação. Simplesmente disse que era super delicioso. Não tem o direito de fazer isto. Não tem mesmo. Mas, tão estúpida que eu sou, não consigo dizer-lhe que não, não consigo dizer-lhe para parar. Sei que não é só comigo. É mesmo com toda a gente, mas enerva. Enerva mesmo! Não é por ser a mais nova, mas sim por sentir que é a mim que desprezam. Não digo sempre, mas na maioria das vezes. Desculpem, mas também sou ser-humano, também preciso de uma certa atenção.

3 comentários:

  1. todos precisamos de atençao ;$

    ResponderEliminar
  2. Existem pessoas que precisam mais de atenção que outras, são mais sensiveis ao tipo de atenção que lhes é dada, mas a verdade é que todos lá no fundo precisamos de atenção, principalmente daqueles que mais nos são importantes!
    Adorei, vou seguir (:

    ResponderEliminar

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.