músic

quinta-feira, 9 de junho de 2011

são todos iguais, coitados


Eu amo-o. Ele diz que me ama. Toda a gente diz que ele não me ama. Ele oculta-me. Eu tenho medo. Ele fala com outras raparigas, ás quais diz serem somente amigas. Eu continuo com medo e formo uma mini-história:
- Ele vai continuar a ocultar-me coisas, ate ao momento em que eu me canso e sigo em frente. Nesse momento, a sua amiga também se cansa e caga para ele. Ele fica sozinho. Numa noite, vamos a uma festa e ele também está lá. Nessa noite eu estou a divertir-me a grande e ele está a pensar: mas porque é que eu a deixei, se foi a ela que sempre amei? Pois nessa noite, eu estava mais bonita, mais elegante do que nunca.

9 comentários:

  1. este texto diz-me alguma coisa , adorei mesmo ! (':
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. adorei este post ! Fez-me lembra uma situação que se passaou comigo *.*
    Não podia deixar de seguir :)

    ResponderEliminar
  3. Anónimo17.6.11

    existem rapazes muito parvos, acredita* :o
    /wordsonthewind-ana.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Adorei a história que crias-te!

    ResponderEliminar
  5. adoro ! estou a seguir-te *.*

    ResponderEliminar

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.