músic

sexta-feira, 6 de maio de 2011

acaba aqui ou começa aqui?



Não sei nem me perguntes porque, mas hoje, feito um mês, esquecendo tudo o que aconteceu, tudo o que eu vi, tudo o que falamos, tudo o que de mau vivemos, vi-te de uma forma bonita e não daquela forma antipática, murcha, triste que a partir daquele dia te passei a ver. Hoje, fizes-te-me lembrar uma inocente criança, com medo do mundo, com medo de tudo, com medo de viver. Como sempre, não conseguia deixar de pensar em tudo, principalmente, naquela horrível coisa que tão chocada me deixou. Responder a todas aquelas perguntas com uma lágrima prestes a rebentar no canto do olho. Só conseguia pensar na pessoa que fui, que sou e sobretudo, que serei. Era para ser sincera, eu fui, fui muito sincera até. Novamente, mostrei arrependimento do meu passado, muito arrependimento até. Arrependimento de tudo o que fiz, de tudo o que vive, de tudo o que eu conheci, mas sobretudo, das pessoas com quem me dei, mas desta vez, mostrei arrependimento perante aquela gente, para que pudessem perceber que não é assim tão simples gerir uma vida, tendo cometido tantos erros. E sabem que mais?! Posso não ser igual a todos vocês, mas sou uma pessoa literalmente confiante, e é a confiar em mim que atingirei todos os meus objectivos, com os quais vocês nunca sequer sonharam.

1 comentário:

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.