músic

domingo, 20 de março de 2011

sinto-me bem



Sinto-me bem. Sinto-me como já não me sentia a bastante tempo. Sinto-me eu. Sinto que me encontrei. Sinto que agora é o momento certo para dar rumo a minha vida, para me organizar (ainda mais). Como me sinto bem, sem problemas, sinto que toda a coragem se armazenou eu mim. Deixei de ter medo de falar, deixei de falar quando não devo, deixei aquela triste vida que me acompanhou enquanto sofri com coisas que não mereciam nem uma única lágrima minha. Sinto-me bem e é apenas nisso que tenho de pensar. Quero lá saber se amanhã me olham e me comentam, eu sinto-me bem é hoje. Quero lá saber se me chamam de parva, não me conhecem. Quero lá saber se me dizem para morrer, nunca me conheceram com vida. Quero lá saber daquela gente invejosa,  é só inveja, e enquanto a inveja nelas reina, em mim reina o proveito. Sempre me disseram que tinha tudo e não aproveitava nada, eis o momento para essas opiniões mudarem totalmente. Se tenho tudo, aproveito tudo, até à ultima migalha que os passarinhos poderão comer. Eles estão desesperados a procurar comida, precisam de se alimentar. Eu estive desesperada meses sem fim, a tentar encontrar-me e como, finalmente consegui, não irei deixar escapar nem uma migalha da minha comida, nem um pedaço de alcatrão, daquela estrada que jamais deixará de me guiar.

estou feliz e assim continuarei para sempre.

3 comentários:

  1. dos melhores textos que já li, transmite mil e uma força!
    ah e adoro o cabeçalho :)

    ResponderEliminar

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.