músic

terça-feira, 8 de março de 2011

destino




Não, o mundo não me caiu aos pés. Nem a mim, nem a ninguém. E se caiu, foi porque assim o pintámos, na nossa folha, cheia que cor, que assim lhe demos o nome de: destino. Nada acontece por acaso. Tudo tem uma razão ser. Quando pensamos e chegamos até a gritar bem alto que, o mundo nos caiu aos pés, é apenas uma maneira de exprimir a nossa raiva. São tantas as tarefas que eu, e toda a gente tem para fazer. São tantos os mandamentos que a vida nos propõe. Não, não propõe por acaso. Por vezes, não conseguimos sequer concluir uma das tarefas, já temos mais pela frente. Sei perfeitamente que é motivo de revolta. É motivo para dizer que o mundo nos caiu aos pés. Que não temos sorte nenhuma. Tudo porque? Tudo porque, infelizmente, a maioria das pessoas, se afecta com coisas que não fazem o menor sentido, como por exemplo, problemas de outras pessoas. É bom ajudar, dar apoio ao mundo. Mas diariamente nos esquecemos de que nós, nós fazemos isso porque simplesmente queremos ajudar. Essa gente, faz isso com o objectivo de receber algo em troca. Acabei de perceber o porque de o mundo se estar, diariamente a lamentar. Lamenta-se porque quer. Porque não há calma. Hoje em dia, calma é o que menos há. E, sem calma ninguém fará nada.
(odeio este novo acordo ortográfico)

2 comentários:

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.