músic

domingo, 13 de fevereiro de 2011

embora tudo, a vida continua


Com isso ou sem isso; contigo ou sem ti; a comer ou a beber; a cantar ou a dançar, a minha vida continua. Não me faças parar porque queres uma segunda oportunidade, pois o tempo que tinhas para demonstrar o teu amor por mim, acabou e jamais irá voltar. Foste o melhor que me aconteceu, mas tal como tudo na vida, o que começa, acaba e o nosso amor não fugiu a regra. Compreendo que, naqueles momentos, tivesses feito tudo sem pensar, mas não foram apenas semanas, foram meses consecutivos, meses em que as lágrimas eram a única coisa que me acompanhava diariamente. Conseguiste fazer com que tudo se afastasse de mim. Chamas-te as atenções todas para ti e conseguis-te, acima de tudo, deixar-me sozinha, a entrar até em desespero. Foste um grande homem enquanto conseguiste mentir e enganar toda a população, pois agora, a única coisa que eu, e todas essas pessoas, sentimos por ti, é ódio!

( e mais uma vez, não sei porque escrevi isto, nem como escrevi. sei apenas que, ultimamente, a única coisa que consigo escrever, são textos sem sentido, tal como este. não é para ninguém, nem é de ninguém. É apenas para que todas as pessoas possam ter em consideração que, devem, primeiro pensar e só depois agir.)

2 comentários:

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.