músic

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

contigo ou sem ti



Sinto-me a pessoas mais pequenina do mundo quando estou contigo. Faço birras, choro, corro, jogo até aos jogos que jogava na primária. Gosto de ti e quero ser como tu. És a minha fonte de inspiração. Para pintar a capa (expressão plástica) das fichas de avaliação, olho para ti e sei, de imediato, as cores com que pintar. Tenho vergonha e começo a corar quando vou ter contigo ou tu vens ter comigo, porque eu gosto de ti, mas tenho imensa vergonha de te dizer. Não deves de querer uma namorada, como ainda somos pequeninos, não sei, mas tenho um certo medo. Preciso de ganhar coragem, mas e se me dás uma 'tampa'? Talvez um dia, ganhe coragem e enfrente o mundo e a partir desse dia, serei a pessoa maior do mundo, contigo ou sem ti.

[ não sei o que escrevi, nem porque escrevi, só sei que escrevi, assim como que quando dei por mim, estava a refectir sobre as últimas palavras que escrevi e que, por acaso, estão a negrito e embora não pareça, teem muito que reflectir, como também muito que dizer.  Não é directamente para ninguém nem é de ninguém. é algo que me ocorreu quando começava a escrever acerca da escola e dos problemas que, ultimamente teem surgido. Talvez me tenha inspirado nos meus tempos de criança, como também neles - (t,m). quero-os e preciso deles * ]

1 comentário:

  1. temos mesmo, mariazinha :)
    obrigada, também gostei do q li aqui :)

    ResponderEliminar

sem medos, nem vergonhas, todos somos seres humanos.